O poder da conexão social e profissional para as mudanças.

barrinha-item.png

Os serviços de saúde estão passando por um teste incrivelmente poderoso do que pode ser feito, quando mudar é a única opção. 

 

Se voltarmos para 2019 e imaginarmos a resposta de um líder sênior quando questionado sobre a necessidade de mudanças simples no fluxo de trabalho dos profissionais da saúde, podemos garantir que mesmo sendo um líder sênior e receptivo, seriam formados comitês para explorar as implicações do RH, jurídico e TI, tendo após semanas ou meses um relatório denso sobre todos os motivos pelos quais isso não poderia ser feito.

 

Com a chegada da pandemia, em questão de dias os serviços de saúde descobriram que mudar não era uma opção, mas uma necessidade para a continuidade do serviço. Esse foi um aviso poderoso para as pessoas relembrarem como a necessidade do trabalho conjunto é necessária para as coisas funcionarem rapidamente. 

 

O processo de melhoria na saúde é um processo social e este deve ser o foco a ser trabalhado. Trabalhar com outras pessoas, ter o apoio das lideranças na discussão de problemas, criar uma plataforma de aprendizagem e responsabilidade mútua entre os pares, pode ser um grande impulsionador para a geração de energia e entusiasmo.

 

O futuro do trabalho é agora.

 

Descobrimos que não precisamos mais dizer frases como: “você consegue” para motivar pessoas. Podemos trazer a motivação através da atuação conjunta, criação de um ambiente colaborativo e de feedback instantâneos. Isto transmite confiança e garantia de que podem seguir em frente.

 

O status quo é inimigo da mudança. O desafio para todas as organizações de saúde é fazer com que os profissionais reconheçam que não existe mais status quo. A transformação não é um evento único, mas um processo contínuo, exigindo lembretes constantes para que todos se concentrem em encontrar um novo caminho.

 

Dr. Bruno Cavalcanti Farras
Dra. Elizabeth Reis

Mara Machado